"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

21/07/2013

Chega-(me)

Deixa-me dizer-te em silêncio que acabou. Ainda que não ouças, já o sinto e isso chega-me. Embebedei-me de wisky velho, ainda que não goste, queima-me e isso chega-me. Somos dois cubos, ainda ontem éramos puzzles que se encaixavam na perfeição mesmo com todas as arestas para limar e os defeitos mais feios para lidar. Não me minto. Mesmo só sentindo saudades tuas, chega-me. A tua presença espalhou-se e reservou-se em todos os meus cantos profundos e isso chega-me. Deixas-te-me ir em vão. Para ti pareceu-me um jogo fácil de quebra cabeças impossível. Nunca fomos suficientes para o Mundo mesmo que na tua cabeça fossemos gigantes... Mas, não entendes-te que o se embala e realmente importa é exactamente o que nós somos, o que tu és, o que eu sou nas nossas cabeças. Na tua cabeça. Então, numa noite de copos, decidi dizer-te o que sentia. Embalar-me. Falar baixo no entanto com um som sentido. Mesmo assim não tentas-te, chega-me. Um último beijo.

3 comentários: