"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

19/07/2013

Mentiras

Ela já duvidava de todas as palavras que o ouvia proferir. Todas as mentiras embrulhadas em pequenos pedaços de verdade que ele lhe lançava. Essas, as que durante muito tempo ela tinha tentado acreditar. No agora já não acreditava numa só palavra. Não podia. Tinha aprendido à sua própria custa que não podia acreditar nele. Preferia ser surda. Fingir-se surda ao que ele lhe repetia. Era isso ou voltar a enrolar-se na teia de mentiras que ele lhe lançava. 

Sem comentários:

Enviar um comentário