"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

23/07/2013

escrevi em dez minutos o que me ia na alma

És o meu avô. És sangue do meu sangue, somos “farinha do mesmo saco”. Desculpa se não sou a melhor neta do mundo. Eu quero ser. Eu quero aproveitar todo o tempo que me resta contigo. Mas eu não consigo. E eu não sei porque não consigo. Só sei que não consigo. Ou que quero conseguir, mas que no fundo eu não quero querer conseguir. Desde pequena que dizia “eu quero porque quero”, mas agora eu não sei mais o que eu quero. Ou melhor eu sei. Ou se calhar eu não sei. “Só sei que nada sei”. Não te quero perder. Mas não quero que estejas a sofrer. Eu acima de tudo não me quero arrepender. Não me quero arrepender de não ter feito o que devia ter feito. Não quero que morras e eu fique amargurada a pensar no que não fiz. Não quero ser uma pessoa com remorsos por não ter sido o que queriam que eu fosse. Eu amo-te, és sangue do meu sangue, és meu avô, e eu no fundo só não quero que morras, só quero que fiques, perdoa-me se sou cruel ao dizer isto. Talvez sofresses menos se cá não estivesses. Mas se eu dissesse que o melhor para ti e para mim era tu morreres, eu estaria a mentir. Desculpa-me tudo o que eu não disse, tudo o que não vou dizer, mas eu estou a fazer de tudo para acordar todos os dias. Desculpa-me, peço-te apenas isso. Mesmo que a minha boca não diga um “amo-te”, os meus olhos dizem-no, acredita que sim. Não vás. Ou vai, mas fica. Só quero que estejas bem e feliz.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. a sério? eu mesma, que não costumo chorar muito, chorei ao escrevê-lo. "saiu-me" mesmo do fundo do coração

      Eliminar