"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

28/07/2013

pecar por não querer viver

Pequei por viver num mundo daquele ilusórios onde construímos castelos nos ar, onde as almofadas são fofos pedaços de algodão doce perdidas num mar azul-claro. Pequei por me perder onde a mente atinge o limiar da sanidade mental, onde a mente se recolhe em labiríntos onde viajantes menos experientes se perdem no revolver das escadarias, qual pesadelo arquitetónico. Mas descobri jardins que ao entardecer libertam a suas flores, com doces cheiros de um passado ainda meio esquecido e enterrado no inconsciente. Descobri caminhos onde se pode dar passeios por toda uma extensão de memórias e descobertas filosóficas e não me assustar com o que é desvendado. Aprender que a mente encerrará sempre canais nervosos que ninguém ousa descobrir, e que apenas um dia seremos senhores de tudo o que se nos ocorre. A alma encontra-se encarcerada pela correntes que a mente impõe, e é preciso ter as chaves certas para a libertar. Descobrir isso enquanto pecava por não querer viver.

5 comentários: