"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

03/08/2013

Fim do mês

O amor não tem tempo, não se marca com ponteiros que nos fazem querer que está na altura de amar. Ama-se o mês inteiro, porque é talvez essa a melhor forma de o fazer. Não te quis tirar o lugar nem fazer de ti tão simplesmente da minha carne, mas o relógio marcou o tempo que não te amei, e eu julguei que o inferno fosse todas essas horas que nos atravessam o peito.
As batidas do relógio atormentam-me a cada hora que passa. O dia demora a passar, a noite custa e assombra-me. A tua falta na cama tira-me o sono, a tua pele quente faz-me falta, a ausência do teu perfume deixa-me abatido. O meu peito sente a falta do peso da tua cabeça e o meu nariz a falta dos teus cabelos cheirosos. As minhas mãos sentem-se solitárias sem as tuas por perto, elas conhecem-te como ninguém, percorreram todo o teu corpo. Hoje sinto-me perdido, sem ti. Antes sentia-me perdido, em ti; no teu olhar, nos teus lábios, nos teus sorrisos, no teu pescoço, nos teus abraços e nos teus quentes suspiros; nos teus “amo-te” sussurrados ao ouvido.
Agora sinto que o teu cheiro se perdeu pelas horas que escureceram os meus olhos, sinto que o tempo é o que nos faz correr, e apanhá-lo é o que nos faz ter esperança. Eu queria que o tempo voltasse, que o amor não fosse uma questão de relógio mas sim uma questão de perceber o tempo que temos para amar. E todo o mês é bom para sonhar com todos os teus passos, com todas as tuas buscas pelos meus braços, e todo o mês é bom para amar.
Foram pesadelos contínuos que me atormentaram. A tua ida era a razão de todos eles. Gostava que os sonhos crescessem como as ervas daninhas. Gostava que tu e eu, hoje, não fossemos passado. A casa tornou-se enorme sem ti, eu tornei-me pequeno. E tu? Por onde andas?
Perco-me, mais uma vez, a olhar as nossas fotos.
Gostava de te poder dizer uma última vez.
Hoje é fim do mês.

É fim do mês e eu ainda te amo.

Bé Rodrigues & Ricardo Cunha

9 comentários:

  1. Não tenho palavras. Está simplesmente brutal. :))

    ResponderEliminar
  2. Está muito bom. Se este texto estivesse num livro meu estaria quase todo sublinhado. Guardo estas palavras com carinho, dos amores perdidos de todos nós. O amor nunca se perde, nem mesmo no fim do mês.

    ResponderEliminar
  3. Mesmo com a vinda do fim de mês, não se perde amor.

    ResponderEliminar
  4. wow adorei!!! que palavras lindas e como de certa forma me revejo nelas. Era tao bom que o relogio pudesse parar e nao fosse mais uma questao de tempo, mas sim toda uma eternidade para amar :)

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. está mesmo lindo este texto, parabéns aos dois :)

    ResponderEliminar
  7. Parabéns a ambos pela perfeição do que escreveram juntos!

    ResponderEliminar