"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

19/09/2013

«matas-me com o teu olhar»

Os olhos azuis de azul pouco tinham. Ou melhor, aqueles olhos não podiam ser caracterizados pela cor, porque uma cor é demasiado banal para uns olhos tão raros. Nem sei se de olhos se tratavam, mas se da reencarnação de alguém nas dilatas pupilas. Ela tinha um olhar hipnotizante e eu invejava-o. Se de uma inveja saudável, ou não, se tratava, decidam vocês. Mas, se um dia ouvirem a história de uma menina a quem arrancarem os olhos com uma colher de prata, avisem-me. Será prudente apagar este texto.

3 comentários: