"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

26/09/2013

«o desconhecido»


Pus os pés ao caminho. Estava farta do ambiente cá em casa, não aguentava mais os berros, os insultos, as discussões de manhã á noite, a família dos meus sonhos era agora a dos meus maiores pesadelos. Saí sem destino, não me importava o sitio para onde ia queria apenas ter um pouco de sossego, de paz, e há dias que não sabia o que isso era. Durante o meu percurso encontrei um jardim não muito grande mas que me alegrava as vistas, procurei um banco e ali fiquei. Não estava ninguém talvez por já ser de noite, apesar do medo ter começado a aparecer decidi ficar mesmo assim. A minha cabeça só tinha um único pensamento, as discussões em casa. Por muito que tentasse que isso desaparecesse não consegui, e como já esperava comecei a chorar desalmadamente como sabia que estava sozinha não me importei. Mas para meu espanto apareceu um rapaz a passear o seu cão, viu-me e parou mesmo ao meu lado, sem me dirigir uma única palavra sentou-se no mesmo banco que eu, e por alguns minutos ficamos assim, sem que ninguém falasse ou olhasse um para o outro. Até que olhou para mim e viu que tinha os olhos a brilhar. Perguntou-me se me estava a sentir bem e se precisava de alguma coisa, eu disse-lhe que não. Mas realmente precisava de falar com alguém se não a minha cabeça explodia, mas o facto de não o conhecer incomodava-me um pouco, no entanto resolvi desabafar. Disse-lhe que anda com uns problemas em casa e que andava cansada dos problemas, e qual não foi o meu espanto quando me disse que ele andava a passar pelo mesmo. Senti-me mais confortada por instantes, o facto de saber que alguém sentia o mesmo que eu fazia-me ver que não estava sozinha. Foi uma conversa agradável entre dois desconhecidos, Fomos para casa, cada um por caminhos diferentes, mas naquela noite sentimos que sempre que precisássemos de conversar bastava aparecer naquele sitio, mesmo sem sabendo nomes, sem sermos amigos, estávamos ali prontos a ajudar. 

5 comentários:

  1. ás vezes precisamos mesmo de um desconhecido para conversar

    ResponderEliminar
  2. Esta segunda frase fez-me andar para trás na vida e lembrar aquilo que tanto quis esquecer. Hoje já consigo sorrir quando penso e contigo irá ser igual. Força

    [Esse encontro parece coisa de filme]

    ResponderEliminar