"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

24/11/2013

O bom do amor é o que fica em segredo, é quando podemos deixar em segredo e mesmo assim estarmos completos. Guardar um amor dentro de quatro paredes, literais ou metafóricas, que não nos prendem, antes nos deixam libertos, é o melhor que podemos fazer. O aconchego dos silêncios em que nada precisa de ser dito e é isso mesmo que não queremos mudar. É isto que guardo, a vontade de deixar para nós o melhor.

3 comentários:

  1. Justamente.
    A doce clausura da cumplicidade, deixando manifestações públicas de fachadas efémeras para os pavões pueris.

    ResponderEliminar
  2. Acho que nunca li nada que descrevesse tão bem a minha visão sobre o amor como as tuas palavras. O amor é 'algo' íntimo e a sua intensidade sentida a dois; expô-lo ao mundo e deixar que o seu sabor se dilua fora das "quatro paredes" é tornar amargo o que sempre foi doce.
    Adorei.

    ResponderEliminar