"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

24/11/2013

Somos frágeis quando a vida passa por nós, quando não há nada a fazer se não vê-la passar. É triste, disseste tu, do fundo dos teus olhos cor de mel, e eu sorri, como se a tristeza não me deixasse chorar mais e como se o sossego fosse ver-te olhar para mim, e saber que me vias sorrir. Escolhias sempre as palavras que me cabiam no bolso, as pequenas, as fáceis, mas as que ficam guardadas, talvez para me fazeres ver que o amor não é exuberante, e que tudo o que fazes não é grande, mas é teu, e só de ser assim, tão frágil como nós, já é amor. E o amor deixa-nos assim, nus e fracos, e ainda assim, faz-nos desejar a fraqueza, só para poder suspirar mais um minuto de carinho, faz-nos adorar o abismo, para podermos sentir o mundo a cair-nos, e os braços mais fracos, e mais cheios de amor, a segurar-nos. É triste, disseste tu. E eu sorri como quem diz ser frágil e gosta de ser assim.

Sem comentários:

Enviar um comentário