"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

04/12/2013

A morte invisível.

Ninguém sabia que ela estava morta. Não olhavam atentamente para repararem que o sangue havia parado de lhe aquecer o coração e o corpo já há muito tempo. O tom de pele pálido, como sempre havia sido. Os olhos negros a sobressaírem de toda aquela falta de cor que lhe era característica. Deambulava pelos corredores da casa como se nada fosse e a verdade é que ninguém reparava. Não viam nos seus olhos o vazio que lhe percorria a alma, o eco das palavras proferidas e que já nenhum sentido faziam. Acenava que sim ou que não com a cabeça e pouco era o som que se dava ao trabalho de imitir. Causa da morte: desilusão. Ninguém sabia que ela estava morta. O corpo era tudo o que restava.

4 comentários:

  1. E o pior de tudo é que raramente alguém tem o dom de reparar. E, ainda mais raramente, alguém recupera de uma morte assim.

    ResponderEliminar