"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

17/12/2013

A vocês, a nós, a todos.

Escrever ajuda-me a conhecer-me melhor. Escrever desperta em mim lados diferentes, visões diferentes, sentimentos diferentes. Desencanta em mim capacidades que, antes de escrever, não sabia que tinha. Não sabia que era capaz de escrever tão bem (às vezes tão mal) sobre o que sinto, o que vejo, o que penso. Não me sentia capaz de desenvolver tanto as minhas ideias, os meus valores. Sei que isso é também fruto da idade que vai passando. Apesar de ainda ser jovem, sei que sou matura o suficiente para saber quais os valores que defendo. Os ideais que tenho. E isso, por muito que passe ao lado de quem me olha sem me conhecer, sei que é um bem precioso aos olhos de quem me conhece.
Aprendi a valorizar mais os pequenos pormenores porque, tal como na escrita, até a mais pequena palavra faz falta para o sentido de uma frase.
Somos (nós, os que escrevemos) verdadeiramente gigantes. Seres para além de um corpo. Cabeças, corações, almas, o que lhe queiram chamar. Nós somos mais. Somos mais porque sabemos dar parte de nós a algo que, ainda que não directamente ou de forma perceptível, também nos dá muito.
Agradeço a cada um de vocês, escritores no blogue "Os Amantes" e membros do grupo do qual faço parte (e de onde surgiu este projecto) por me terem dado um pouco de vocês e me terem ajudado a crescer.
Vocês são de facto únicos. 

4 comentários:

  1. Sinto o mesmo quando escrevo. Ajuda-me a crescer!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é das melhores coisas que podemos retirar da escrita.

      Eliminar
  2. Escrever é uma benção. É uma alegria no meio da tristeza, é um som no silêncio, é a calma numa tempestade.

    ResponderEliminar