"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

07/01/2014

23:37

Pedaços de mim, bêbedos de loucura pungente de insanidade puxada aos confins da mente humana, presos na cadeia de comando mecânica dos músculos e das células que se regeneram, regenera-se tudo e no final não somos os mesmo que éramos há dois dias atrás, somos células novas, somos novos corpos dentro do mesmo padrão. Pedaços de mim perdidos da cadeia de comando, presos na loucura eterna de serem o que são, fantasmas do passado, pedaços de carne putrefacta que não regenera, não cura, queima aqui dentro como ácido porque são quilos de nada a pesarem nos ombros. Desvia-se o olhar com delicadeza de senhora porque o cheiro incomoda, os olhos de órfão esfomeado pedem para serem alimentados e cuidados, pedem por colo de mãe que os criou e agora não os quer. Os fantasmas do passado são os poltergeist que nos arranham as paredes da mente, enchendo os ouvidos com gritos de ódio e injectando ódio e medo directamente na circulação.

2 comentários: