"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

18/01/2014

Ama-me ao longe

Posso um dia apagar-te da minha vida, mas nunca completamente. Posso um dia passar sem pensar em ti, mas nunca uma noite. Tu habitas os meus sonhos, nunca to permiti, nunca te entreguei a chave, nunca te encorajei a fazer tal coisa, mas tu habita-los de forma apaixonante, não sei se a paixão é pelos sonhos ou por mim, ou talvez saiba. Não poderia faltar um grande talvez, esse mesmo talvez que nos caracteriza e nos persegue desde que nos conhecemos, ou até antes de nos conhecermos. E esta ideia de nunca vir a conseguir erradicar-te completamente da minha memória assusta-me. Confesso, assusta-me. Não muito. Mas assusta-me. Porque eu sei que nunca irei passar um dia sem que o meu pensamento recaia sobre ti e sobre tudo aquilo que um dia não fomos e poderíamos ter sido, se quiséssemos, ou mesmo que não quiséssemos, bastava termos deixado. Não deixamos. Mas deixamo-nos um ao outro. Deixaste-me ir para longe sem nunca te preocupares qual seria mesmo o meu paradeiro. Espero que não te preocupes agora. Não voltes agora. Volta só nos sonhos, e olha, se quiseres, nem nos sonhos. Não queiras saber onde estou ou o que faço. Passou-se muito pouco tempo, sim, podes até pensar que neste curto espaço de tempo eu não tive tempo para me afastar assim tanto de ti, mas tive. Tive porque quis. Eu quero afastar-me de ti. Por isso, continua a afastar-te também. Não olhes para trás. E se olhares, não penses em voltar atrás. Sê feliz - ou não - longe, bem longe de mim. Sempre soube como amar-te à distância, não queiras proximidades a que nunca estivemos habituados, sabes bem que há rotinas que não podem ser quebradas.

10 comentários:

  1. Será que as rotinas não foram feitas para serem quebradas? Será que as regras são todas as mesmas?
    Mesmo que sejam, é assustador que alguém nos prenda com essa mão de ferro na consciência do inconsciente. Compreendo o que transmites, mas não tenhas medo. Nunca se ama alguém da mesma forma, e, por vezes, até aquilo que não devemos ter dentro de nós, perdura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nem é bem medo, ou se calhar é, não sei bem explicar o que sinto. não tenho medo de amá-lo, tenho medo de o amar demais. porque nada que seja em demasia é bom.

      Eliminar
  2. Cada vez que vou lendo o que escreves, percebo que cresceste imenso enquanto escritora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não imaginas o quanto é bom ler isso, Elisseia, a sério. muito obrigada!

      Eliminar
  3. sei o que é isso, amar e ver que por qualquer coisas tiveram que ir e nada está igual e o quanto queríamos tanto que tudo voltasse mesmo que não fosse da forma antiga, que só voltassem apenas... Dizem que as lembranças são boas, mas assim parece que magoam, porque na verdade nunca vamos tirar essa pessoa dos nossos pensamentos, essa pessoa completava-nos e talvez continue a completar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu nem queria que ele voltasse. queria é que essas lembranças de que falas fossem embora, pra bem longe.

      Eliminar
  4. Eu já tentei comentar este texto algumas vezes mas não consigo. Só te consigo dizer que é um enorme orgulho conhecer alguém como tu, admiro-te. Como pessoa e como escritora. Tu cresces a cada texto que mostras ao mundo. Obrigada por me deixares partilha-lo contigo, por te poder chamar "amiga" e companheira de escrita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. digo-te o mesmo, sabes? tenho um orgulho ENORME, em ti, tenho mesmo. obrigada <3

      Eliminar