"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

09/02/2014

Enterraste-te sozinho.

Tu cavas a tua própria sepultura sozinho. Sem precisares sequer que te passem uma pá para as mãos. Tu fazes isso e enterras-te cada vez mais na terra salpicada de água da chuva. E parece que não te importas. Reages como se não te importasses, como se não fosses ser humano suficiente para perceber que as tuas palavras só fazem com que me afaste mais. Pois bem, aqui estou eu a afastar-me de ti, por tempo indeterminado. Porque tu fizeste com que isso acontecesse. E foi tão bem feito que agora estás aí, debaixo de um conjunto de terra qualquer, e eu nem sequer tenho capacidade de te puxar para cima. Nem vontade. Tu fizeste isso. Sobe à superfície se quiseres. Vem ter comigo se quiseres. Não venhas ter comigo. Não sei o que quero de ti. Não sei mesmo porque nem sequer precisas de pá. Enterraste-te sozinho.

2 comentários:

  1. Pois é. E mais mau ainda é quando a pessoa nem sequer se apercebe que o fez.

    ResponderEliminar