"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

18/03/2014

Estes dias.

Há dias em que não sei o que fazer connosco. Estou a tentar com toda a força retirar de mim a sensação de que não está tudo bem, de que cometi algum erro. Sinto que me tratas com uma frieza que não conhecia. E dou voltas e mais voltas a pensar onde foi que errei para contigo. Não me lembro de te dar menos que o melhor da amizade que tenho. Por isso as tuas atitudes - ou falta delas, dão cabo das tentativas, agora sei que infrutíferas, de me acalmar. Não te posso perder. Não te quero perder. Prefiro que tudo isto que sinto não passe de uma mera sensação estranha de que nos estamos a adaptar a alguma coisa que aí vêm. Pode ser que seja isto. Pode ser que seja só receio que tu vás embora. Pode ser que seja um monte de coisas que não tenho qualquer acção nelas. Só quero que passe; bem rápido como veio. Que vá. E que tu fiques.

3 comentários: