"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

15/04/2014

A noite

O coaxar de várias rãs invisíveis ao negro da noite irrompem pelo silêncio, e sem limitações, prosseguem a sua linguagem sem complexos nem constrangimentos. O ar respira-se com uma maior facilidade, sem a competição de narizes a consumi-lo nem a conspurcá-lo, e nem os transeuntes carros que passam a velocidades para lá das recomendadas, atrapalham o ambiente. Um pinheiro dá o ar da sua graça soltando um estalido, confirmando a sua durabilidade, enquanto os outros competem em estátua imóvel, de forma desorganizada, cada um no seu ponto estratégico em que germinou e onde floresceu. Circula no ar uma brisa fresca, calmante e confortante.

Este autor escreve em www.oburgues.blogspot.pt

5 comentários: