"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

24/07/2014

A morte chegou e levou-me.


Eram quatro e cinquenta quando morri. Os meus olhos estavam fechados e os meus sentidos apagados. Declaram o meu óbito e ignoraram a minha fraca respiração. Eu já não fazia falta nesta curta vida e quiseram apagar a minha presença. Choraram lágrimas de alívio, mascarando-as de dor. O meu corpo estava ali mas sabiam que eu já nada poderia fazer. Mataram-me o espírito. Apagaram todo o meu passado. Todos os passos que dei caíram no esquecimento. Como se eu nunca tivesse verdadeiramente existido. Pensam que não percebi tudo o que foi acontecendo? Escolhi ficar, mesmo sabendo que eu não era o tipo de pessoa que queriam junto de vocês. Escolhi acreditar que os nossos laços seriam mais fortes que isso. Que conseguiriam arranjar maneira de me incluir nos vossos ideais. Eu sempre fui a sombra daquilo que queriam, não é? Nunca fui capaz de vos satisfazer. De satisfazer os vossos padrões. Matou-vos por dentro eu lutar por aquilo que queria, esquecendo o que me rodeava, bem sei. E agora mataram-me. A vingança não demorou. Eram quatro e cinquenta quando o meu relógio parou. Duvido que algum dia volte a andar.

5 comentários:

  1. Adorei o blog
    Textos lindos

    Visita: http://trendybutterfly.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Texto forte..

    SV,
    abigpieceofme.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Gostei do teu cantinho.
    Apesar do texto ser um bocadinho forte, mas gosto da forma como escreves!

    http://trapeziovermelho.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. tens de voltar... não desistas.

    bj doce

    ResponderEliminar
  5. Entendi tudo. Nem são precisos pormenores.

    ResponderEliminar