"A vida são dois dias
Um serve para escrever o melhor texto do Mundo.
O outro para morrer a lê-lo."

08/12/2015

quo vadis?

numa manhã de chuva pegaste no casaco e eu perguntei-te para onde ias.
-"Embora", disseste como se o frio lá de fora estivesse todo em ti.
num pequeno segundo, o nosso mundo - aquele que eu transportava - caiu a meus pés
e nem sequer consegui reagir à tua partida.
sabes? ainda hoje, depois de tanto tempo, procuro pelo motivo que te levou a partir
e ainda hoje - eu sei -, depois de tantas manhãs de chuva, te perguntas porque é que, naquela fração de segundos, não te impedi de sair.
Explico-te agora, num sussurro e sem medos:
como um pássaro, deixei-te voar.

E foi tão simples o nosso adeus.

1 comentário: